Apla-BRASIL TERÁ BANCO GENÉTICO MUNDIAL DA CANA
Logotipo Apla Sugarcane
EN ES PT

BRASIL TERÁ BANCO GENÉTICO MUNDIAL DA CANA

ISSCT e IAC anunciam durante o Congresso da ISSCT 2013 que Brasil será sede de um novo banco genético da cana com variedades de todo o mundo

Marcos Landell, coordenador do Centro de Cana do Instituto Agronômico (IAC), de Campinas, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, localizado em Ribeirão Preto, e Raúl Castillo, coordenador da seção de Melhoramento Genético e Germoplasma da ISSCT (International Society of Sugar Cane Technologists), e diretor geral da CINCAE – Centro de Investigación de la Caña de Azúcar del Ecuador, anunciaram durante o Congresso da ISSCT 2013, que o Brasil será sede de um novo banco genético de cana, com variedades de todo o mundo.

De acordo com eles, será criado um consórcio entre entidades e empresas pesquisadoras brasileiras, lideradas pelo IAC, que responderá pela implantação e manutenção desse banco, que tecnicamente é chamado de Germoplasma.”O ISSCT vai contribuir para o Brasil ser sede dessa coleção mundial que represente a variabilidade genética do complexo Saccharum”, explica Raúl Castillo, da ISSCT. Ele também informa que atualmente existem dois bancos genéticos da cana, um na Índia e outro em Miami, nos Estados Unidos. Os dois apresentam limitações de acesso à informação aos pesquisadores, especialmente da América Latina.

 “A criação do Germoplasma no Brasil favorecerá os pesquisadores latinos e contribuirá para o desenvolvimento de variedades mais resistentes a doenças e também mais produtivas, pois ele estará aberto para todos”, explica Castillo. Marcos Landell, do IAC, destaca que o banco deverá contar com mais de duas mil variedades oriundas de todo o mundo e acredita que o consórcio receberá o apoio dos principais centros de pesquisa e empresas que trabalham com melhoramento genético do país. “Cada centro tem seu foco de pesquisa e pode contribuir muito com suas variedades para o banco genético”, ressalta Landell.

 A previsão é que, até em três anos, o novo banco genético entre em funcionamento no Centro de Cana IAC-APTA – Centro Avançado de Pesquisa Tecnológica do Agronegócio Cana, do Instituto Agronômico (IAC), sediado em Ribeirão Preto.

CONGRESSISTAS FALAM SOBRE A IMPORTÂNCIA DA EDIÇÃO NO BRASIL

Cerca de 2000 participantes de mais de 60 países participam do evento que conta com a apresentação de 334 trabalhos e pôsteres científicos.

O Brasil recebe, pela terceira vez, o Congresso da ISSCT (International Society of Sugar Cane Technologists). Realizado a cada três anos, o evento, que está em sua 28ª edição, reúne cerca de dois mil profissionais do setor, entre congressistas e visitantes, de 46 países, de 24 a 27 de Junho de 2013, no Transamérica Expo Center em São Paulo-SP. Confira as impressões de alguns dos participantes do evento:  

Jonathan Mutoniyi representa a Mumias Sugar Company, do Quênia, que produz 260 mil toneladas de açúcar por ano. Ele participou do Pré-Congresso, quando visitou as usinas Delta e Alta Mogiana e diversos campos de cultura. Seu principal interesse é o melhoramento das variedades de cana e o aumento da produtividade. Ele afirma ter encontrado muitas informações úteis, principalmente quanto à produção em fábrica.

Satashi Ohara, do Japão, veio ao Congresso em busca de informações sobre otimização da cultura de cana-de-açúcar com o objetivo de produção de bioetanol para sua empresa, o Asahi Group, e conhecer o setor de cana-de-açúcar brasileiro. Ele aprovou o nível das apresentações.  

Santiago Costengo, da Argentina, apresentou um pôster sobre uma nova metodologia para avaliar a interação entre a cultura e o ambiente. Ele representa a Estação Experimental Agroindustrial Obispo Colombo, de Tucumán, Argentina.

 Shanmuga Sundaram Maruthappan, da Índia, representa a J. P. Mukehrji & Associates, uma empresa de consultoria para a produção de açúcar. Para ele, o Congresso traz tecnologias importantes para conhecer, além de oferecer a possibilidade de encontrar pessoas de diferentes países.

 Jafar Alekasir, do Irã, estima que seu país tenha 100 mil hectares de cana, “Este Congresso é um bom lugar para compartilhar informações”, afirma. Para ele, o Brasil, por ser um grande produtor e ter tecnologia própria na área, dispõe de informações de que o mundo precisa.

ÚLTIMO DIA DO CONGRESSO APRESENTOU 64 TRABALHOS CIENTÍFICOS

ISSCT 2013 recebeu inscrição de mais de 500 resumos, dos quais 198 trabalhos técnicos e 136 pôsteres científicos foram selecionados para serem apresentados

Organizado pela STAB Nacional (Sociedade dos Técnicos Açucareiros Alcooleiros do Brasil) com operação da Reed Multiplus, marca associada à Reed Exhibitions Alcantara Machado, o Congresso da ISSCT 2013 é elaborado por meio de uma chamada de trabalhos e conta com apresentações de plenárias e de pôsteres científicos de pesquisadores nacionais e estrangeiros selecionados pela ISSCT. No último dia do evento, serão apresentados 64 trabalhos científicos.

O Congresso recebeu número recordes de resumos enviados por tecnólogos e pesquisadores de diversos países e do Brasil - mais de 500. Foram selecionados 198 trabalhos técnicos e 136 pôsteres científicos que serão apresentados em cinco salas simultâneas durante os quatro dias de evento com temas focados em toda cadeia sucroenergética. Durante o Congresso, os participantes também podem participar de três sessões plenárias baseadas em temas mais estratégicos, como a integração da indústria, biomassa e cultivo.

Fonte: site oficial do ISSCT 2013