Apla-DATAGRO diz que safra 2013-14 será mais alcooleira
Logotipo Apla Sugarcane
EN ES PT

DATAGRO diz que safra 2013/14 será mais alcooleira

Perspectiva de moagem se mantém 584,5 toneladas apesar das chuvas

O Dr. Plínio Nastari, presidente da DATAGRO, afirmou que a safra 2013/14 será mais alcooleira do que a safra passada, que tinha mix de 50,59% para etanol na região Centro-Sul. Isso se deve ao excedente mundial de açúcar, o que deve fazer com que os produtores invistam mais na produção de etanol para obter uma melhor remuneração.

Segundo ele, em 62% dos postos de combustíveis de São Paulo foi identificado um maior volume de saída de etanol em relação à gasolina para veículos flex, mesmo com a desvalorização do real aumentando a defasagem do preço da gasolina e uma possibilidade de aumento no subsídio por parte do governo, que hoje é de 16,6%. Isso significa que o Brasil continuará pagando um preço menor do que o resto do mundo na gasolina, e o governo continuará a arcar com a diferença.

A produtividade da safra de cana na região Centro-Sul cresceu 11%, apesar das chuvas que comprometem o rendimento industrial.

Mesmo com os bons resultados e a renovação de novos canaviais, a região Centro-Sul tem estado em alerta por conta da infestação de broca, que atinge 4% dos canaviais  - o aceitável para que não prejudique a safra é de 3%. A broca compromete o rendimento por devorar parte do açúcar contido na cana.

A praga cigarrinha também está preocupando os agricultores. A cigarrinha é encontrada na palha da cana e por conta da mecanização da safra e da lei que proíbe a queima da palha, está começando a aparecer mais nas plantações. Ela aumenta as falhas nos canaviais comendo a raiz da cana entre 4% e 5%.

Sobre os gargalos no setor de cana de açúcar, Nastari comentou sobre a perda de oportunidades em transporte por conta da falta de ferrovias como opção de escoamento da safra.

Apontou também que houve um aumento nos custos de transporte por conta da leia da balança e a lei do caminhoneiro. Com isso, mesmo com a recuperação na produtividade os custos não irão diminuir.

Quanto à perspectiva de moagem, a DATAGRO manteve a estimativa anterior de 584,5 toneladas de cana.

Fonte: DriellySantada do Universoagro