Apla-Etanol evita até 1,4 mil mortes e mais de 9 mil internações ao ano
Logotipo Apla Sugarcane
EN ES PT

Etanol evita até 1,4 mil mortes e mais de 9 mil internações ao ano

Uma pesquisa realizada pela Universidade de São Paulo (USP) mostrou que a utilização de carros movidos a etanol, em oito regiões metropolitanas do país, reduziu em até 1.400 mortes e mais de nove mil internações por problemas respiratórios e cardiovasculares por ano. Um dado extremamente importante para a saúde e bem estar da população, abordado no 2º episódio da websérie da TV UDOP, "Made in Brazil: 40 anos do etanol".
 
No novo episódio, você vai conhecer ainda os outros benefícios desse programa para o Brasil e para o mundo. Especialistas como Plínio Nastari, Ricardo Dornelles, Celso Junqueira Franco, Marcos Fava Neves, André Rocha, Elizabeth Farina e Pedro Mizutani comentaram a expansão do setor nas chamadas novas fronteiras agrícolas, a geração de empregos e renda no interior do país, a economia de 381 bilhões de dólares com a queda da importação da gasolina, entre outros.
 
Tantas consequências positivas que o ProÁlcool foi um programa pioneiro no quesito produção de combustíveis renováveis. Por isso, o historiador norte-americano, Thomas Rogers, esteve em Araçatuba/SP fazendo uma pesquisa para seu novo livro que conta os 40 anos desse projeto inovador, que quebrou paradigmas no mundo todo.
 
Para ver a segunda reportagem especial da websérie "Made in Brazil: 40 anos do etanol", clique aqui. Ou, se preferir, acesse a nossa página no YouTube: www.youtube.com/tvudop.
 
"Made in Brazil: 40 anos do etanol"
 
Dividida em quatro reportagens especiais, exibidas todas as quartas-feiras até o dia 11 de novembro, a websérie conta a história de quatro décadas do Programa Nacional do Álcool, o ProÁlcool.
 
O 1º episódio foi ao ar na última quarta-feira (21) e contou a história do ProÁlcool, o seu surgimento, a reação da população, o primeiro carro a álcool produzido no Brasil e o avanço das destilarias do setor bioenergético. Para assistir, clique aqui. Ou acesse nossa página no YouTube: www.youtube.com/tvudop.
 
Fonte: Agência UDOP de Notícias via Cana Online