Apla-Produção de Biocombustíveis aumentou 109% em seis anos
Logotipo Apla Sugarcane
EN ES PT

Produção de Biocombustíveis aumentou 109% em seis anos

A produção de biocombustíveis aumentou 109% nos últimos seis anos em todo o mundo. A previsão é de que até 2021 a produção deve aumentar mais 60%. No caso de bioetanol e biodiesel, a produção deverá saltar dos atuais 149 bilhões de litros para 222 bilhões de litros. A estimativa é da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) e da FAO (Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura).
Na região Centro-Sul — que engloba os estados das regiões Sul, Sudeste e Centro Oeste — a produção de etanol já aumentou 15,06% no comparativo entre os meses de novembro e outubro. De acordo com a Unica (União da Indústria de Cana-de-Açúcar), a produção do combustível somou 23,13 bilhões de litros, sendo 10,09 bilhões de litros de etanol anidro e 13,04 bilhões de litros de etanol hidratado, no mês de novembro.
Para comportar este aumento, será necessário utilizar entre 3,8% e 4,5% da terra disponível mundialmente para o cultivo de culturas agrícolas destinadas à produção de biocombustíveis, contra 1% do total de terra usada hoje no mundo para essa finalidade.
Uma das razões para esse aumento de produção, de acordo com especialistas, é a decisão mais de 40 países, anunciada nos últimos anos, de aumentar por meio de projetos de lei, a utilização de etanol em suas frotas de veículos até 2021.
Os Estados Unidos estipularam que, nos próximos oito anos, deverão consumir 79,8 bilhões de litros de etanol a mais do que o total de 67 bilhões de litros do combustível que obtêm do milho atualmente.
No caso do Brasil, a estimativa é de que o país consumirá, até 2021, 24,2 bilhões de litros a mais de etanol obtido da cana-de-açúcar do que o total de 37,4 bilhões de litros do biocombustível que utiliza atualmente.

 

Fonte: Jornal O Regional via Udop Notícias