Apla-Projeto vai gerar conhecimento para ampliar a produção de cana para Etanol
Logotipo Apla Sugarcane
EN ES PT

Projeto vai gerar conhecimento para ampliar a produção de cana para Etanol

A Petrobras e a Embrapa assinaram em São Luiz Gonzaga (RS), termo de cooperação técnica para o desenvolvimento de tecnologias para produção de cana-de-açúcar no Rio Grande do Sul. Com investimentos de R$ 5,5 milhões, o projeto tem como objetivo gerar conhecimento para ampliar a produção de cana voltada para o mercado de etanol, contribuindo para o desenvolvimento da agroindústria sucroenergética no Estado.
O projeto Tecnologias para o sistema de produção de cana-de-açúcar no Rio do Grande do Sul - Siscana RS foi aprovado pela ANP e será financiado pela Petrobras, com apoio técnico-científico de seu Centro de Pesquisas (Cenpes). A coordenação e a execução do projeto de pesquisa e desenvolvimento serão feitas pela Embrapa Clima Temperado, em Pelotas (RS).
Para o presidente da Petrobras Biocombustível, Miguel Rossetto, a parceria representa um marco para a qualificação da produção de etanol no Estado, que ainda importa o produto para suprir sua necessidade. “Somos produtores de petróleo e biocombustíveis e trabalhamos para abastecer o mercado. O projeto está alinhado à nossa estratégia de produção regionalizada de biocombustíveis, e os investimentos em pesquisa têm o objetivo de buscar conhecimento que permita analisar com mais segurança futuros investimentos”, destaca.
Segundo o diretor-executivo de Transferência de Tecnologia da Embrapa, Waldyr Stumpf Júnior, foi um momento de celebrar uma parceria com a Petrobras. "É um convênio extremamente importante para consolidarmos um arranjo produtivo da cadeia de etanol para essa região do Estado, especialmente para São Luiz Gonzaga (RS), que poderá abastecer indústrias de etanol", disse.
"Com essa iniciativa, uma parceria que já vem desde 2005, será possível fortalecer o processo de transferência e tecnologias, e também gerar conhecimento, para potencializar o Estado gaúcho, que hoje é dependente na importação de etanol. É uma energia renovável, e os estudos da pesquisa, através do zoneamento agroclimatológico da cana, realizado pela Embrapa, apontam áreas no Rio Grande do Sul com potencial para produção da cultura", declarou o chefe-geral da Embrapa Clima Temperado, Clenio Pillon.
De acordo com o pesquisador Sergio Delmar dos Anjos e Silva, responsável pelas pesquisas na cultura, fala: “O que se quer é avançar em todas as direções. No caso com a pesquisa da cana, tanto em produção como na seleção de materiais genéticos”.
O estudo vai avaliar variedades de cana-de-açúcar mais adaptadas ao solo e ao clima do Estado, levando em conta produtividade, resistência a pragas e tolerância ao frio e à seca. O projeto também visa desenvolver e indicar um modelo de sistema de produção com base em estudos da adubação e épocas de plantio, entre outras condições regionais. Além disso, vai disponibilizar um zoneamento agroclimático da cana-de-açúcar sob clima temperado.

Fonte: Embrapa via Portal Biocana

A Petrobras e a Embrapa assinaram em São Luiz Gonzaga (RS), termo de cooperação técnica para o desenvolvimento de tecnologias para produção de cana-de-açúcar no Rio Grande do Sul. Com investimentos de R$ 5,5 milhões, o projeto tem como objetivo gerar conhecimento para ampliar a produção de cana voltada para o mercado de etanol, contribuindo para o desenvolvimento da agroindústria sucroenergética no Estado.
O projeto Tecnologias para o sistema de produção de cana-de-açúcar no Rio do Grande do Sul - Siscana RS foi aprovado pela ANP e será financiado pela Petrobras, com apoio técnico-científico de seu Centro de Pesquisas (Cenpes). A coordenação e a execução do projeto de pesquisa e desenvolvimento serão feitas pela Embrapa Clima Temperado, em Pelotas (RS).
Para o presidente da Petrobras Biocombustível, Miguel Rossetto, a parceria representa um marco para a qualificação da produção de etanol no Estado, que ainda importa o produto para suprir sua necessidade. “Somos produtores de petróleo e biocombustíveis e trabalhamos para abastecer o mercado. O projeto está alinhado à nossa estratégia de produção regionalizada de biocombustíveis, e os investimentos em pesquisa têm o objetivo de buscar conhecimento que permita analisar com mais segurança futuros investimentos”, destaca.
Segundo o diretor-executivo de Transferência de Tecnologia da Embrapa, Waldyr Stumpf Júnior, foi um momento de celebrar uma parceria com a Petrobras. "É um convênio extremamente importante para consolidarmos um arranjo produtivo da cadeia de etanol para essa região do Estado, especialmente para São Luiz Gonzaga (RS), que poderá abastecer indústrias de etanol", disse.
"Com essa iniciativa, uma parceria que já vem desde 2005, será possível fortalecer o processo de transferência e tecnologias, e também gerar conhecimento, para potencializar o Estado gaúcho, que hoje é dependente na importação de etanol. É uma energia renovável, e os estudos da pesquisa, através do zoneamento agroclimatológico da cana, realizado pela Embrapa, apontam áreas no Rio Grande do Sul com potencial para produção da cultura", declarou o chefe-geral da Embrapa Clima Temperado, Clenio Pillon.
De acordo com o pesquisador Sergio Delmar dos Anjos e Silva, responsável pelas pesquisas na cultura, fala: “O que se quer é avançar em todas as direções. No caso com a pesquisa da cana, tanto em produção como na seleção de materiais genéticos”.
O estudo vai avaliar variedades de cana-de-açúcar mais adaptadas ao solo e ao clima do Estado, levando em conta produtividade, resistência a pragas e tolerância ao frio e à seca. O projeto também visa desenvolver e indicar um modelo de sistema de produção com base em estudos da adubação e épocas de plantio, entre outras condições regionais. Além disso, vai disponibilizar um zoneamento agroclimático da cana-de-açúcar sob clima temperado.

Fonte: Embrapa via Portal Biocana

A Petrobras e a Embrapa assinaram em São Luiz Gonzaga (RS), termo de cooperação técnica para o desenvolvimento de tecnologias para produção de cana-de-açúcar no Rio Grande do Sul. Com investimentos de R$ 5,5 milhões, o projeto tem como objetivo gerar conhecimento para ampliar a produção de cana voltada para o mercado de etanol, contribuindo para o desenvolvimento da agroindústria sucroenergética no Estado.
O projeto Tecnologias para o sistema de produção de cana-de-açúcar no Rio do Grande do Sul - Siscana RS foi aprovado pela ANP e será financiado pela Petrobras, com apoio técnico-científico de seu Centro de Pesquisas (Cenpes). A coordenação e a execução do projeto de pesquisa e desenvolvimento serão feitas pela Embrapa Clima Temperado, em Pelotas (RS).
Para o presidente da Petrobras Biocombustível, Miguel Rossetto, a parceria representa um marco para a qualificação da produção de etanol no Estado, que ainda importa o produto para suprir sua necessidade. “Somos produtores de petróleo e biocombustíveis e trabalhamos para abastecer o mercado. O projeto está alinhado à nossa estratégia de produção regionalizada de biocombustíveis, e os investimentos em pesquisa têm o objetivo de buscar conhecimento que permita analisar com mais segurança futuros investimentos”, destaca.
Segundo o diretor-executivo de Transferência de Tecnologia da Embrapa, Waldyr Stumpf Júnior, foi um momento de celebrar uma parceria com a Petrobras. "É um convênio extremamente importante para consolidarmos um arranjo produtivo da cadeia de etanol para essa região do Estado, especialmente para São Luiz Gonzaga (RS), que poderá abastecer indústrias de etanol", disse.
"Com essa iniciativa, uma parceria que já vem desde 2005, será possível fortalecer o processo de transferência e tecnologias, e também gerar conhecimento, para potencializar o Estado gaúcho, que hoje é dependente na importação de etanol. É uma energia renovável, e os estudos da pesquisa, através do zoneamento agroclimatológico da cana, realizado pela Embrapa, apontam áreas no Rio Grande do Sul com potencial para produção da cultura", declarou o chefe-geral da Embrapa Clima Temperado, Clenio Pillon.
De acordo com o pesquisador Sergio Delmar dos Anjos e Silva, responsável pelas pesquisas na cultura, fala: “O que se quer é avançar em todas as direções. No caso com a pesquisa da cana, tanto em produção como na seleção de materiais genéticos”.
O estudo vai avaliar variedades de cana-de-açúcar mais adaptadas ao solo e ao clima do Estado, levando em conta produtividade, resistência a pragas e tolerância ao frio e à seca. O projeto também visa desenvolver e indicar um modelo de sistema de produção com base em estudos da adubação e épocas de plantio, entre outras condições regionais. Além disso, vai disponibilizar um zoneamento agroclimático da cana-de-açúcar sob clima temperado.

Fonte: Embrapa via Portal Biocana