Apla-Safra da cana na macrorregião de Piracicaba deve começar em abril
Logotipo Apla Sugarcane
EN ES PT

Safra da cana na macrorregião de Piracicaba deve começar em abril

A quantidade de cana de açúcar processada pelas usinas da região Centro-Sul somou 279,91 mil toneladas na primeira metade de fevereiro deste ano. No acumulado da safra 2018/2019, a moagem alcançou 563,59 milhões de toneladas, com queda de 3,56% quando comparado ao mesmo período do ciclo anterior (584,40 milhões de toneladas).
 
Na macrorregião de Piracicaba, que engloba cerca de 70 municípios, o início da safra está previsto para a primeira quinzena de abril. Segundo José Rodolfo Penatti, gerente do Departamento Técnico da Afocapi (Associação dos Fornecedores de Cana de Piracicaba), espera-se para a safra de 2019 manter os mesmos números do ano passado, 7 milhões de toneladas de açúcar dos produtores locais e cerca de 33 milhões de toneladas das usinas, se forem mantidos os preços baixos do açúcar no mercado internacional. “Até o momento, a safra de 2019 será mais alcooleira. Se o clima continuar chuvoso, pode ser que atrase um pouco o início da safra”, afirma.
 
Já o volume total de etanol comercializado pelas usinas e destilarias da região Centro-Sul somou 1,32 bilhão de litros na primeira quinzena de fevereiro, crescimento de 31,19% em relação ao mesmo período do ano anterior (1,06 bilhão de litros). Deste total, 47,59 milhões de litros foram destinados à exportação e 1,27 bilhão de litros ao mercado doméstico.
 
O aumento das vendas é reflexo da comercialização do etanol hidratado no mercado interno, que atingiu 926,85 milhões de litros nos primeiros 15 dias de fevereiro. Esse volume representa um expressivo crescimento de 50,76% em relação ao valor registrado no mesmo período de 2018 (614,80 milhões de litros). “O etanol hidratado ainda continua sendo a opção mais vantajosa ao consumidor em vários mercados, criando condições para que as vendas continuem em ritmo intenso”, destaca o diretor técnico da Unica (União da Indústria de Cana-de-Açúcar), Antonio de Padua Rodrigues.
 
POSTOS
 
Nos últimos dias, consumidores observaram mudança nos preços nos postos. Segundo Augusto César Mafia, diretor regional do Sindicato dos Revendedores de Combustível e Derivados de Petróleo, no etanol e na gasolina preço teve um aumento variável de 20 a 25 centavos, enquanto no diesel variou de 10 a 15 centavos. “O aumento não está relacionado com o Carnaval. O etanol subiu por causa da lei de oferta e procura e a gasolina porque tem em sua composição 27,5% de anidro. Já o diesel segue, assim como a gasolina, o câmbio do dólar no mercado internacional”, explica.
 
Fonte: Jornal de Piracicaba